Quarta-feira, 16 de Abril de 2014 Siga-nos no Twitter Fale Conosco


Notícias


Presos da Polinter de Macaé já foram transferidos para presídio no Rio de Janeiro

Foto: João Marcos


Para fazer a transferência quatro furgões e um ônibus vieram do Rio de Janeiro para conduzir os 77 de Macaé presos para as unidades prisionais
Nesta quinta-feira (06) as carceragens da Polinter de Macaé, Nova Friburgo e Valença fizeram a transferência de cerca de 277 detentos que inicialmente deverão ingressar no Sistema Penitenciário Fluminense, no Presídio Ary Franco, no bairro Água Santa, no Rio de Janeiro. Em Macaé 77 detentos seguiram para a unidade, onde acontecerá a triagem.
Para fazer a transferência quatro furgões e um ônibus vieram do Rio para conduzir os presos para as unidades prisionais. Familiares dos detentos aguardavam ansiosos na frente da Polinter, e o clima era de muita tensão e tristeza por parte dos parentes, que não sabem qual será o destino final dos detentos.

De acordo com o delegado Daniel Bandeira da III Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (CRPI), a desativação das carceragens da Polícia Civil faz parte de um programa do governo federal.

- Está é uma determinação do governador do Estado do Rio de Janeiro, Sergio Cabral, que entendeu que a polícia civil não tem que tomar conta dos presos, pois isso é uma função dos “agentes penitenciários” e da Secretaria Estadual de Administração Penitenciária (SEAPI).

- Alguns presos serão encaminhados para a cidade de Campos dos Goytacazes para o presídio Carlos Tinoco da Fonseca, outros para o presídio Ary Franco que normalmente faz a triagem para as unidades prisionais do Estado, como por exemplo as Casas de Custódia em Resende, Itaperuna, Magé, Bangu, Volta Redonda, Japeri entre outros, informou.

Para os parentes dos detentos, a desativação da Polinter vai gerar uma grande preocupação. Este é o caso da dona de casa Claudia Márcia de 43 anos, que teve o seu preso por tráfico de drogas.

- Porque não fazem uma casa de custódia em Macaé? Fica difícil visitar o meu filho, pois agora eu não sei para onde ele vai. Se fosse para cidade de Campos seria melhor para mim, pois fica próximo de Macaé, disse aos prantos.

O caso de Adriana dos Santos, moradora da cidade de Campos dos Goytacazes não é diferente, pois seu filho acabou de completar 18 anos e foi preso em flagrante, por assalto a mão armada.

- Meu filho já foi sentenciado e está a um ano preso na Polinter, como ele já cumpriu um ano de prisão agredido que os próximos oitos meses ele fique preso no presídio Carlos Tinoco da Fonseca na nossa cidade, relatou.

Jornalista: Ana Carolina Benjamin
Publicado em 07.10.2011 às 14h00

« voltar








cadastrar


Início Notícias Anuncie Fale Conosco

Diário da Costa do Sol - Todos os Direitos são reservados
Av. Rui Barbosa, 1453 - Alto Cajueiros
Macaé - RJ - Tel: (22) 2762-5175

Webinteragir